O QUE EU JÁ ESCREVI?

PESQUISE NO BLOG

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Para o Natal, decidi me presentear!

Tem coisa melhor que entrar numa loja e simplesmente... decidir se presentear? Eu sei que vocês provavelmente responderão em coro: "nããããoooo"!
Então neste Natal, visto que este foi um ano de muita dificuldade, eu decidi me presentear com mini presentinhos que fui comprando conforme ia encontrando coisas que eu gostava. Sinceramente, acho que agora tenho tudo o que preciso para cuidar da minha pele e mais alguns mimos que não eram tão necessários, mas comprei só por vontade mesmo!
E aí vai o vídeo:


E vocês? Também se auto presentearam??? Se sim, qual foi o presente?

Um beijo a todos!

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Feliz Natal e desejos para o Ano Novo

Esse ano, com certeza foi um ano de muitas transformações em minha vida. Tanto no sentido positivo quanto no sentido negativo. Um ano de perdas e ganhos, com certeza.
Para o próximo ano, tenho dois desejos: um trabalho e emagrecer alguns quilinhos. E você, qual é o seu desejo? O que você gostaria de ganhar de encontrar debaixo da árvore de Natal?


Feliz Natal e um próspero Ano Novo a todos vocês! E que o Ano Novo traga realizações e surpresas boas para todos nós.

Um beijo Natalino à todos!

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Vida na Itália: Novo corte de cabelo

Gente, como pude esquecer de mostrar pra vocês a foto do meu Look 2012? A essa altura do campeonato, talvez vocês já tenham visto no facebook ou em algum vídeo. De qualquer maneira, esse Blog também é parte da minha vida, então aí vai:


A história do corte é bem simples: todo mundo já sabe que estou fazendo o curso com aquela cabelereira de Castelfidardo. Um belo dia ela resolveu fazer escova no meu cabelo e descobriu o que eu já sabia - meu cabelo estava bem arruinado por causa da química de relaxamento que uso. Ela disse que achava que eu estava usando o produto com muita frequência em cima do cabelo que já tinha química e disse que seria legal eu ir cortando aos poucos e depois tentar deixá-lo natural. Eu disse que na próxima semana, cortaria uns três ou quatro dedos. A próxima semana chegou e eu já estava impaciente, uma dificuldade para desembaraçar os fios... e justo eu que adoro cabelo prático! Aí quando cheguei ao salão, vi na parede a foto de uma modelo muito bonita com os cabelos assim curtos. Fiquei encantada e disse que queria o cabelo daquele jeito. Ela se encarregou do "serviço sujo". E eu saí toda feliz do salão com meu novo-super-cabelo!


Um beijo à todos!

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

O encanto do brigadeiro

Quando era criança, eu ficava toda agitada quando sabia que teria alguma festa de aniversário para ir. Tudo isso por causa da minha paixão pelo brigadeiro. Dias antes já começava a pensar nos milhões de brigadeiros que iria comer. E tenho que confessar que antes mesmo do parabéns eu já começava a "furtar" alguns docinhos da mesa onde estava o bolo. Pensei que esse "encanto do brigadeiro" acontecia somente com as crianças, mas neste fim-de-semana constatei que: os adultos também se encantam com o brigadeiro, mesmo que seja um brigadeiro disfarçado.
Quinta-feira passada minha cunhada Bárbara nos convida (a mim e ao Francesco) para jantar em sua casa no sábado. Achei que seria legal levar algum doce brasileiro porque tenho feito várias experiências na cozinha de casa, mas nunca tinha levado nada. Preferia sempre comprar algo já pronto que era mais seguro. Sabia que Elena, minha outra cunhada e o marido também estariam presentes.
Imediatamente já comecei a pensar em que doce levar e foi então que ele voltou em minha mente "o encanto do brigadeiro". Provavelmente todo mundo já sabe disso, mas pra quem não sabe, o brigadeiro é um doce brasileiro (que orgulho!).
Começa então a procura pelos ingredientes que aqui tem nomes diferentes. Mando uma mensagem desesperada à Taty para saber onde posso comprar leite condensado. Ela me liga e diz que no Carrefour posso encontrar e que eles também vendem o chocolate granulado.
Sexta-feira, me enfiei por entre as prateleiras do Carrefour e felizmente encontrei tudo. Chocolate em pó, leite condensado, chocolate granulado e também um pouco de côco ralado para tentar um brigadeiro meio diferente. Tudo no carrinho, chegamos ao caixa e lembrei que não tinha pego as forminhas. Pego-não-pego! Decidi não pegar.
Sábado à tarde, começo a fazer a receita.Quando começo a fazer as bolinhas, vejo que os brigadeiros estão mais parecidos com moedas de 1 real. O que aconteceu??? Não estava no ponto certo, tinha ficado muito mole. Então pensei, vou acrescentar côco ralado! Entro em desespero quando penso que pode ser que alguém não goste de côco! Francesco liga para os irmãos e confirma que todos gostam de côco. Ufa, que alívio!
Prova daqui, prova de lá, consegui deixar a massa no ponto acrescentando o côco ralado. Francesco prova daqui, prova de lá, rouba alguns enquanto eu não estou olhando. Raspa a lata de leite condensado, raspa o fundo da panela onde estava o chocolate...
Penso: "Mas e agora, como fazer sem as forminhas?". Francesco volta ao Carrefour pra comprar as forminhas e eu aproveito para separar uns docinhos para os meus sogros que não estariam presentes mas que também mereciam ser lembrados. Francesco rouba mais alguns docinhos e eu penso que se continuar assim vamos chegar lá só com as bandejas.
Tudo pronto, partimos para a casa dos meus sogros. Brigadeiro com côco aprovado. Falta a prova final para saber se Bárbara, Elena e meus cunhados também vão ceder ao encanto do brigadeiro. Chega a hora do doce e eu já digo o clássico "não sei se vocês vão gostar...". Minhas cunhadas abrem o doce muito curiosas e já fazem cara de maravilhadas. Eu rio e elas provam. Pena que não registrei a cara delas, porque foi algo inacreditável. Resultado: na hora do brigadeiro, até os adultos se tornam crianças de novo! Tudo aprovado e eu mais que feliz com o encanto do meu querido docinho brasileiro.

Um beijo a todos!

sábado, 26 de novembro de 2011

Vida na Itália: Saudade do Brasil

Nem acredito, falta só um mês para o Natal! Outro dia, estava conversando com o Francesco e comentei que acho que esse Natal será um pouco triste. Quando estava no Brasil, meu feriado favorito sempre foi o Natal porque era um dos poucos em que podia estar reunida com a minha família. Era um momento muito esperado. E ainda é... Esse ano, infelizmente, não poderei ir para o Brasil para estar com os meus familiares nessa data, mas meu coração seguramente estará lá.
Deixo algumas fotos que falam por si sós e para todo mundo que poderá estar com seus familiares: desejo que vocês aproveitem ao máximo.


Minha mãe e eu em Holambra. Momento riso frouxo! :)))






Aproveitem! Alguns momentos são únicos na vida.





Francesco e eu em Paraty-RJ


Não tenham vergonha de dizer: "Eu te amo"
aos amigos e
familiares também. Eles merecem ouvir essa declaração de amor!






Mãe, Talita, Gustavo, Emanuelle... e família: amo todos vocês!

Um beijo a todos!


sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Vida na Itália: O que tem na TV italiana?

Eu juro que me esforço, mas realmente é impossível assistir TV aqui na Itália. Quando estava no Brasil e ainda não tinha um computador em casa, sempre odiei o domingo por achar que não tinha nada de bom pra ver na TV. Obviamente nem todas as pessoas ficam em casa vendo TV num dia de domingo mas... o que mais se pode fazer num domingo frio e chuvoso, por exemplo?

Ao contrário do que eu pensava, a situação aqui na Itália é um pouco pior. Isto porque, não é só no domingo que não se tem opção de programas interessantes. Isso acontece todos os dias! Hoje, por exemplo, é uma quinta-feira e a coisa menos chata que tem pra ver ver na TV é um filme Indiana Jones.

O Francesco ficou todo feliz quando descobriu que tinha esse filme e pediu pra eu assistir com ele. Eu bem que tentei ficar sentada no sofá durante uns 30 minutos (um record!) e depois, escapei com a desculpa de que ia ao banheiro.
Agora estou na cozinha, coloquei água pra ferver e vou fazer um chá de camomila para nós. Sim, eu estava com vontade de tomar chá. Principalmente considerando-se que fora, a temperatura deve ser de uns 10°C-12°C e nós dois estamos gripados. Mas o motivo principal é que, depois que o chá ficar pronto, eu escapo para o quarto pra fugir do filme chato. Claro que respeito muito quem gosta de Indiana Jones, mas em italiano, parece bem chatinho... Tudo bem, cada um com seu gosto pessoal.
Ufa, a água do chá ferveu. Que bom! Já coloquei a camomila dentro e agora é só esperar alguns minutinhos.
Mas enquanto isso... Estou invejando secretamente quem está no Brasil às 22h45 da noite e tem opção do que assistir na TV.
Não é à toa que vi vídeos de algumas garotas italianas no youtube, onde elas diziam que  não tinham televisão por opção própria. Só o computador mesmo, porque na TV não tinha nada de bom. Agora entendo porquê.
Por último faço um apelo à vocês, queridos leitores: "Se alguém estiver lendo esse post e tiver dicas de programas legais para se ver na TV italiana, por favor, me diga!".
Agora vou, meu chá está pronto.

Um beijo a todos!

******
Atualizações 16/01/2014

Eu finalmente consegui encontrar alguns programas legais na TV Italiana. Não posso negar que a variedade de canais é bem grande se compararmos com a TV do Brasil. Acho que o que realmente queria quando escrevi este post, era ter um pedacinho do Brasil aqui comigo para relembrar como era a minha vida lá...

De qualquer maneira, este não é um post sobre saudades do Brasil e sim, para dizer que gravei um vídeo mostrando um pouco da TV Italiana.


Agora sim: Um beijo à todos!




quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Vida na Itália: Curso de Espanhol e Aprendendo com uma Cabelereira Italiana



Tenho várias novidades pra contar pra vocês. Sem mais nem menos vou ficar muito ocupada com tantos cursos. Mas vamos por partes. Primeira coisa: abri um canal onde ensino português para italianos!
Na verdade, não quis contar logo de cara porque estava "testando" o canal e vendo se teria algum inscrito. Nunca se sabe né? Mas fui bem-sucedida e já tenho 50 inscritos. Para ver o vídeo da minha primeira lição, clique logo acima na guia Blá-blá-blá.
No começo do post, disse que tinha várias novidades né? Então, são todas relativas a cursos. Não sei se já comentei com vocês mas eu adoro fazer cursos e, de fato, estava sentindo muita falta de aprender alguma coisa nova. Desde que cheguei aqui, procurava cursos mas eram todos muito caros ou os cursos eram integrais.
Aí aconteceu que descobri a Universidade Popular de Ancona. Acredito que cada cidade italiana tenha a sua universidade popular. Na realidade, não se trata de uma universidade, e sim, de vários tipos de cursos, desde dança até línguas. Você paga um valor simbólico anual e pode frequentar os cursos que quiser sem pagar mais nada! Imaginem a minha felicidade quando descobri isso. Fiquei radiante. Como adoro línguas, já me inscrevi nos cursos de Espanhol e Alemão (que sei que é super difícil porque comecei a fazer uma vez). Os cursos começam na semana que vem. Estou muito ansiosa.

A última novidade diz respeito a um "curso" de cabelereiro. Também é um outro curso que estou procurando desde que cheguei aqui. Mas só encontrava em lugares muito distantes ou quando encontrava um mais próximo, o valor era absurdo.
Então meu marido comentou com um colega de trabalho que eu estava interessada em fazer esse tipo de curso e esse colega disse que sua esposa era cabelereira e que, se eu quisesse, poderia ir ao salão uma ou duas vezes por semana e que ela poderia me ensinar. Fiquei duplamente radiante ao saber disso porque sei que existe oportunidade de trabalho para cabelereiras aqui, mas precisa ter experiência. Agora quem sabe não encontro meu sonhado trabalho. Vou torcer e depois volto pra contar como vão indo os cursos.

Um beijo a todos!


sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Respondendo Perguntas sobre a Vida na Itália

Fiquei muito feliz em fazer esse vídeo no qual respondo perguntas das meninas que curtem a Página do Facebook e o Youtube.
Publico aqui também, as duas partes do vídeo, para quem tiver interesse em assistí-los.



Respondendo Perguntas sobre a Vida na Itália - parte 1


Respondendo Perguntas sobre a Vida na Itália - Parte 2


Fiquem à vontade para dizer o que pensam, se concordam ou discordam das minhas impressões. Ah, obviamente, tudo o que eu digo nos vídeos é baseado em experiências pessoais vividas até agora.
Espero sinceramente que esse vídeos possa ser útil para vocês. Boa visão!

Um beijo a todos!

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Vida na Itália: Pão francês na Itália. Existe?

Tudo bem, eu sei: o título desse post é bem estranho. Explico: desde muito pequena eu sempre fui apaixonada pelo pão francês que encontramos até na padaria mais furreca em São Paulo.
Quando cheguei aqui na Itália, pensei comigo: "Agora vou experimentar milhões de tipos de pão!". Porém, depois de um tempo que estava aqui, comecei a notar, que não era tão comum ver o pão francês como em São Paulo.
Comecei minha busca desesperada, mas a princípio tive que me contentar com o pão de forma para tomar café de manhã, porque o outro tipo de pão que encontrei aqui é aquele que eles comem no almoço ou não janta e tenho que dizer que é duríiiiiissimo.
Um dia, passeando por um mercadinho no centro comercial, encontrei um pão diferente. As instruções diziam que ele era pré-cozido, mas pra ficar totalmente pronto, tinha que ser assado. Pensei: "Vamos experimentar, quem sabe?"
Coloquei o pão no forno e esperei o tempo recomendado na embalagem. E quando abri o forno, uma surpresa: ali estava ele, lindo douradinho e fumegante - meu querido pão francês!
Fiquei tão feliz que agora toda vez que vou ao mercado, já compro praticamente pra semana toda! E ainda tem um bônus que não tinha quando estava em São Paulo: eu mesmo asso o pão, então posso comê-lo sempre quentinho. Que felicidade!


Um beijo a todos!


segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Vida na Itália: As curiosidades de uma casa italiana

Sim, ela lava com água quente.
A saga começou na primeira vez que vim pra Itália. Usei muitas roupas, elas ficaram sujinhas e aí eu pensei: "Bom, agora não dá mais pra evitar. Vou ter que lavar roupa." Separei tudo em cores conforme manda o figurino e fui em direção à lavadora. Logo de cara já fiquei com cara de boba: a lavadora tinha não-sei-quantos-tipos de lavagem. Aperta botão daqui, gira botão de lá e... obviamente no primeiro dia, a lavadora me venceu pelo cansaço. Mas a maior surpresa de todas, foi esse botãozinho da foto ao lado.



Fui tomar banho e pensei: "Ué, o que aconteceu com o bom e velho chuveiro elétrico?" Na Itália, ele não existe como no Brasil. Ou se existe, eu nunca vi. Até hoje todo chuveiro que vi por aqui era como este. Pequenininho né? E eles funcionam a gás. 


  



Que a voltagem por aqui era 220V eu já sabia. Mas que a tomada tinha um tipo de entrada diferente da do Brasil, não. Aqui a tomada é assim, com três furinhos. Mas se você tiver um plug com dois furinhos, também é possível encaixá-lo aqui. Para todos os outros tipos, é necessário um adaptador.



Depois das surpresas pensei: "Agora vou fazer um café." Mas, cadê o bule, o coador e o filtro? Rá! De conhecido, só encontrei o pó de café. E nesse bulinho, chamado mooca mocóca moka, que eles fazem o café. Como? Dê uma olhadinha na foto da moka desmontada e descubra como. O primeiro café e todos os outros foram feitos pelo Francesco.

Desnecessário dizer que de manhã eu troquei o bom e velho café com leite pelo bom e velho leite com café solúvel né?
Tá bom, agora vamos falar de coisas mais simples como... passar roupa. Quando cheguei, compramos o ferro mais normal que consegui encontrar no mercado. Assim não teria nenhuma surpresa. Depois de alguns dias passando roupa, comecei a notar que ferro soltava uma espécie de "areia" que estava entupindo os buraquinhos por onde sai o vapor. Vi aquilo, mas achei que não fosse nada demais. Até que um dia, na praia, a Taty comentou: "...pra passar roupa tem que usar água desmineralizada." Fiz cara de boba outra vez e a Taty já entendeu. "Você usa água da torneira? Não pode! Você vai acabar com o ferro...". Droga, tava fácil demais pra ser verdade. Depois, conversando com ela, descobri que a água contém alguns minerais. Aqui se bebe água da torneira, mas essa água pode ser extremamente prejudicial à vida do ferro.

E as surpresas continuaram...








Este é o aquecedor (foto esq). Cada cômodo da casa tem um (ou dois se for um espaço grande) que emana calor nos dias de inverno.





E continuaram...


 
Aqui se faz coleta seletiva do lixo. O saco amarelo é para plástico e latinhas. O recipiente  branco é para papel, o verde para vidro e o marrom para lixo orgânico. Todas as famílias recebem uma cartilha com as instruções de onde deve ser colocada cada coisa. O caminhão do lixo passa de segunda à sábado e cada dia recolhe um tipo de coisa.

.



Esse todo mundo conhece. É um termômetro.

Só que no Brasil, normalmente temos em casa o termômetro pra medir a febre quando estamos doentes. Também tem esse aqui. Mas parece que italiano gosta bastante de saber a temperatura, porque praticamente todas as casas tem um termômetro grudado pendurado na parede. Normalmente no Brasil, se perguntássemos: "Quantos graus será que está fazendo hoje?", na certa alguém responderia: "Sei lá... uns 15°C." Mas aqui, toda vez que faz essa pergunta, eles correm pro termômetro. É meio que como olhar as horas. Esse aqui de casa é bem feioso, essa foto me lembra que eu preciso substituí-lo o quanto antes...

Por enquanto é isso. Fico por aqui pensando qual vai ser a próxima esquisitice que vou encontrar por aqui.

Um beijo a todos!

terça-feira, 6 de setembro de 2011

As italianas se vestem assim

Moro aqui há sete meses e esperei muito tempo para escrever sobre o Estilo Italiano porque queria entendê-lo, observá-lo e pesquisá-lo incansavelmente até captar o seu real significado.
Para fazer esse post, tive a colaboração da minha amiga italiana Chiara (pronuncia-se Kiara), que é atriz e traduz em imagens, o que eu explico com palavras.
Chiara fazendo um lanchinho

Quando cheguei aqui na Itália, me impressionei um pouco ao ver que as italianas eram muito elegantes. As mulheres aqui são extremamente vaidosas, frequentemente usam maquiagem para valorizar seus pontos fortes e fazem combinações de roupas que são um arraso!

A primeira coisa em que reparei quando cheguei, foi que o cabelo das italianas é fantástico. Tive uma agradável surpresa ao descobrir que nem todas têm cabelos escorridos. Grande parte delas tem cachos maravilhosos! A maioria detesta o "efeito estático" e usa produtos que doam movimento às madeixas. Gosto muito, muito desse efeito "acabei de acordar e estou linda".
Outra coisa que me impressiona muito: a naturalidade com que transformam uma "roupa de páginas de revista feminina" em "roupa para sair durante o dia ou à noite".

Explico: Na foto ao lado, a Chiara aparece linda com um vestido vermelho e saltos altíssimos. Visual para ir a uma ocasião muito especial? Pode ser. Mas não seria difícil encontrar pela rua, em um passeio noturno, uma garota vestida com o mesmo glamour. Isso mesmo, elas se vestem assim seja para fazer um passeio com o namorado, tomar um sorvete com as amigas. Posso dizer que as ruas aqui são verdadeiras passarelas.


Elegância nunca é demais


A elegância é um elemento constante do guarda-roupa das italianas. Mas obviamente, elas também desfrutam do streetwear. Um visual urbano e moderno é sempre bem-vindo , ainda que não se viva em uma megalópole enlouquecida. O que eu quero dizer, é que é muito fácil encontrar gente bem vestida em todos os lugares onde você vá. Incluindo supermercados e escapadas que fazem parte do nosso cotidiano como uma ida ao cinema, ao cabelereiro, ao centro da cidade para encontrar as amigas e por aí vai...  

Cada ocasião, ainda que não seja especial como um casamento ou aniversário, é um momento para usar roupas e acessórios lindos e de maneira muito criativa.




Nada é comum ou ordinário no visual delas. Nem mesmo se estiverem usando uma calça jeans. Neste caso, certamente a blusa, dará um toque charmoso. Em geral elas usam brincos, anéis e pulseiras para dar o toque pessoal e os sapatos - algo de maravilhoso - completam o visual.
Por aqui, é totalmente possível encontrar roupas e sapatos lindos por preços que caibam no seu bolso. É só saber escolher. E escolher o melhor.

Agradecimento

Por último, gostaria de agradecer à Chiara pela disponibilidade e boa vontade de me enviar suas fotos. Sem ela esse post não teria sido possível, porque não tem graça falar sobre o estilo italiano sem uma modelo que dê forma às minhas palavras.

Um beijo a todos!
E um beijo especial à Chiara!

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Aprendendo línguas de maneira tradicional e de maneiras alternativas

Comecei a ter contato com a língua italiana quando ainda morava em São Paulo, porque estava planejando vir pra cá. Fiz um ano de curso - seis meses antes de vir pra cá em abril de 2010 e mais seis meses depois que voltei dessa viagem de férias. Obviamente, tenho que agradecer muito à minha professora de italiano - Beijos, Maísa! Depois que terminei o primeiro módulo do curso, não pude mais continuá-lo porque a viagem para a Itália já tinha data marcada para acontecer e não haveria mais tempo hábil para me dedicar ao curso. Então pensei que precisaria de um método alternativo para continuar aprendendo. Foi quando tive a idéia de procurar no YouTube algum tipo de vídeo que me interessasse, mas que tivesse o áudio em italiano. Fiz a pesquisa digitando ragazza italiana (garota italiana) e dessa maneira, descobri a Clio ( ClioMakeUp ), que é uma das gurus mais famosas aqui da Itália. A princípio, assistia aos vídeos e não entendia necas uma palavra! Mesmo assim, todos os dias, quando chegava do trabalho, assistia, dois, três videos dela e, aos poucos, fui começando a entender o que dizia. Primeiro algumas frases, depois metade do video... Era um aprendizado lento, mas é uma boa opção pra quem não tem tanto tempo e dinheiro pra investir em um curso. Depois da Clio, fui descobrindo várias outras mulheres que faziam o mesmo tipo e vídeo e me apaixonei pelo mundo do make up no YouTube.
Sempre gostei muito de ler então, quando estive aqui na Itália pela primeira vez comprei um livro em italiano que também foi uma ótima fonte de aprendizado. Lógico, que dito assim, parece que eu estava lendo sobre Freud, Einstein ou coisa do gênero. Na verdade, não. Eu comprei um livro da Nora Roberts, minha autora predileta! Acho que o processo de aprendizado tem que ser uma coisa divertida, senão com o tempo você se cansa e acaba desistindo.
 Atualmente estou lendo "A favolosa (doppia) vita di Isabel Bookbinder e o próxima da fila "Un anello da Tiffany", já está esperando na gaveta do criado-mudo.

Glamour italiana. Ooops, a primeira da esquerda para a direita, na verdade é inglesa. Os assuntos abordados seriam praticamente no mesmo gênero da revista Nova Cosmopolitan.

Quando cheguei aqui na Itália, fui melhorando mais rapidamente porque aqui sou "obrigada" a falar em italiano. Claramente, esse é o método mais eficaz para quem quer aprender uma nova língua: viajar ou fazer um intercâmbio. Depois de quatro meses aqui, as pessoas ficavam impressionadas com o meu ritmo de aprendizado. Meu marido de vez em quando diz para as pessoas (todo orgulhoso): "Sinceramente não sei como ela faz pra aprender tão rápido!"
Na verdade, eu uso um truque: presto atenção nas frases que as pessoas dizem e qual o tipo de situação em que elas dizem aquilo. Depois, assim que tenho uma oportunidade, eu repito a frase e assim vou ampliando meu vocabulário de italiano!
Também existe um outro modo de aprender grátis on line através do site Livemocha  , onde é possível se inscrever gratuitamente e aprender de acordo com o seu tempo disponível. É preciso ter um pouquinho de força de vontade, mas vale a pena dar uma conferida.

Um beijo à todos!

sábado, 20 de agosto de 2011

Vida na Itália: E viva o planeta!

Sabe aquela sacola que as nossa avós usavam para ir à feira quando éramos pequenos? Pois é, ela voltou à moda. Mas antes que você pense que vou começar a discursar sobre moda e afins, deixe-me explicar: aqui na Itália, a população atualmente usa essa sacola quando vai ao supermercado!
Pelo que eu sei, há uma lei que proibiu o uso das sacolinhas plásticas. Claro que, nos mercados, eles ainda fornecem as antigas sacolinhas. Só que você tem que pagar por elas, o que faz com que a população prefira levar suas próprias sacolas. Também é possível comprar essa bolsa ecológica em qualquer supermercado onde você vá.



No começo foi meio difícil acostumar com a idéia de que tenho que levar minha própria bolsa. Várias vezes, quando já estava dentro do mercado, tinha que voltar em casa pra buscar a bolsa (que ódio!). Mas agora já me acostumei, acho que é tudo uma questão disso mesmo, de hábito. Inclusive não seria ruim se essa medida fosse implantada também em outros países (Brasil incluso!). Ainda mais se considerarmos que cada sacolinha e embalagens plásticas levam cerca de 100 anos para se decompor! 








E de qualquer maneira, nos dias atuais em que a situação do planeta é caótica é muito bom saber que estou fazendo minha parte.

Um beijo a todos!

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

(Falta de) Trabalho na Itália

Esse post é somente para mostrar minha indignação! Quando eu estava no Brasil e o Francesco me mandava e-mails dizendo que aqui não tinha emprego, eu não acreditava. Pensava: "Deve ser exagero dele, sempre preocupado...". Agora, para minha surpresa, descobri que essa é a mais pura realidade. Estou aqui há cinco meses e ainda não consegui nada (com exceção da minha breve carreira de garçonete). Não entendo como as pessoas fazem pra comer, vestir, passear... Enfim, como elas vivem? Alguém aí sabe? Não? Pois é, nem eu. 


segunda-feira, 25 de julho de 2011

Londres - Parte final (finalmente!)

Finalmente então vamos para a parte final de Londres. Na verdade, nesta parte coloco mais fotos e menos palavras. Faço isso porque não tem muito como traduzir em palavras a sensação de estar em lugares como estes. Acho que as imagens falam mesmo por si sós. Então, apreciem!


London Eye


 Ainda bem que alguém teve a idéia de dar um pouco de cor a cidade cinzenta!



 Guarda do palácio de Buckingham!

 Musical Wicked

Saint James Park

Torre de Londres


Um beijão a todos,

Larissa.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Londres - Parte II

Conforme prometido no post anterior (Londres - Parte I), vamos começar logo pelo Sherlock Holmes.
O passeio que fiz no último dia em estava em Londres durou até à noite quando decidimos fazer o caminho que teríamos que refazer na manhã do dia seguinte (15 de julho) para chegar ao ponto onde pegaríamos o ônibus que nos levaria ao aeroporto de Stanstead. Então nos dirigimos para a estação Baker Street. Quando chegamos em Londres, tb desembarcamos do ônibus nesta rua - Baker Street e pensei: " Que engraçado! Parece que já ouvi falar dessa rua em algum lugar...". Depois minha mente enviou uma mensagem "Um lugar chamado Baker Street..." - era uma peça de teatro que havia sido anunciada no rádio, muito tempo antes. Mas até aí, normal. Pensei: "Deve ser por causa da peça."

Na verdade essa foto não deveria ter sido tirada, porque fazia parte do backstage. Mas o Francesco (marido) é o fotógrafo oficial das nossas viagens e com ele a máquina fotográfica não tem descanso.


 E aqui a foto que deveria ter sido tirada: eu na estação de Baker Street.


Depois da pose para fotos, desembarcamos na estação e quando avistei uma placa que dizia: "Museu de Sherlock Holmes" me surpreendeu! Então era isso, Baker Street, 221B, o escritório de Sherlock Holmes! Não fazia idéia de que o endereço realmente existia. Muito menos de que era um museu! Só fiquei triste por descobrir isso na última noite, quando já estava fechado e não teria mais tempo para visitá-lo.
Mesmo assim, fomos até lá. Parece bem pequeno, como uma casa-escritório, que como descrito nos livros, era a função daquele lugar.

 Descoberta incrível! Pena que não pude entrar, mas não tem problema, fica pra próxima vez...



Depois disso, passamos pela Oxford Street e eu tirei foto da Harrods:



Quando chegamos a Earls Court, lugar onde ficava nosso hotel, outra surpresa. Eu gostei muito de ficar observando o estilo das casas inglesas. Na verdade, observar casas externamente falando, é uma mania que eu tenho desde que era pequena. E em Londres, as casas são diferentes de tudo o que eu já tinha visto. Então ficava observando tudo nos mínimos detalhes. Quando já estávamos nos dirigindo ao  hotel pra dormir, olha só o que eu vi:

Alfred Hitchcock, autor e diretor de Psicose viveu na rua do hotel onde eu estava hospedada!

Também acho que foi uma incrível coincidência! Não que eu seja uma grande fã de filmes de assassinato, mas no final das contas, ele era uma celebridade. Depois disso voltamos ao hotel pra dormir, porque descobrir duas celebridades numa noite era muita emoção para um só coração!

Na verdade eu percebi que ainda não mostrei os lugares mais encantadores (e um pouco clichê de Londres). Mas farei isso no próximo post. Não estou contando as coisas na ordem cronológica em que aconteceram. Estou contando conforme vou me lembrando (eu sempre faço isso), mas tenham paciência.

Um beijo a todos e até o próximo post!!!

Larissa.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Londres - Parte I

Quando cheguei em Londres, o tempo estava ótimo. Algo bem incomum para uma cidade que tem fama de ser sempre cinzenta. Eu vestia uma blusinha de alcinhas e me sentia ótima. Só que aquilo só durou um dia . Era bom demais pra ser verdade... De qualquer  maneira, eu já tinha ouvido falar que o tempo ali era sempre nublado, então não me surpreendi ao ver que de uma hora pra outra, estava frio de novo. Mas tudo bem, porque afinal de contas, era verão ali também. Quer dizer, na verdade o verão é ilusório. Mas as pessoas acreditavam tanto nisso que era normal ver todo mundo passeando de shorts e camiseta enquanto eu tremia de frio. Não é dificil entender porque os ingleses são tão branquinhos. Qualquer um seria assim se vivesse num lugar onde o sol praticamente nunca dá o ar dá graça.


Ela bem que tentou se esconder, mas a lente da minha câmera foi mais rápida. Eu tinha que mostrar pra vocês como os inglese são, não tinha?


O primeiro ponto turístico que vi foi o Big Ben. Quando descobri que estava ali, comecei a pular feito louca. Tinha ouvido tanto falar dele e agora eu ESTAVA ali! Foi uma emoção incrível!
Acabei descobrindo que Big Ben, não é o nome do relógio e sim do sino que pesa 13 toneladas. Vivendo e aprendendo.


O metrô de Londres é um sonho. Na verdade o metrô de São Paulo é mais limpo. Mas em Londres o metrô funciona com uma "pontualidade inglesa". Há um painel onde se pode checar quantos minutos faltam para que o metrô chegue na estação. E funciona perfeitamente.
Earls Court Station - Esta era a estação próxima de onde ficava o nosso hotel.


Os trens chegavam à estação sempre no horário certo.

A pontualidade inglesa vale para os ônibus também!

Os carros antigos também são comuns em Londres. Eles são com certeza, uma recordação de uma Londres mais antiga que até os dias de hoje permanece muito bem conservada.

O café da manhã era sempre uma festa e nada light. Aqui em casa a gente se preocupa em ser muito saudável, mas durante esta semana fora, posso dizer que comemos bastante e sem culpa. Afinal depois, sabíamos que caminharíamos o dia inteiro e que, no final das contas, seria só por uma semana. 

 Adorei o cookie - este biscoitão com pedacinhos de chocolate. Muito macio!

Este era um doce dinamarquês. A massa é bem levinha e parecia ter algo de canela e banana no meio. Nham-Nham!

Este é o clássico muffin sobre o qual já tinha lido tanto nos livros da Marian Keyes e da Sophie Kinsella. Ótimo também! 

Para este post não ficar tão longo, vou continuar em um próximo. Em "Londres - Parte II", vamos falar de Sherlock Holmes, Alfred Hitchcock (Psicose).

Um beijo a todos e até o próximo post!