domingo, 26 de outubro de 2014

Trabalho no Aeroporto: O fim do contrato

Olá pessoal, tudo bem?

Estou um pouco afastada do mundo virtual em geral, então através deste post tenho a intenção de colocar vocês a par do que está acontecendo.
Bem, para começar eu terminei o contrato de trabalho no aeroporto no dia 10 de outubro, então estou oficialmente desempregada novamente. Sinceramente falando, não posso dizer que fiquei tão triste, porque como eu disse há algum tempo (e alguns vídeos) atrás, eu não tinha certeza se ia continuar naquele emprego. E o fator principal é que todo mundo por aqui ficava me dizendo "que eu tinha sido muito sortuda em arranjar um emprego em tempos de crise", maaaaaaaaaasssss... o problema é que eu não estava me sentindo tão sortuda assim. Mesmo assim, tentei aguentar a barra de acordar todos os dias cedo para enfrentar um emprego que não era nem um pouco a minha cara.
Agora que chegou ao fim, eu finalmente respirei um pouco aliviada, até porque sei que não terminou por falta de vontade da minha parte. Muito pelo contrário, eu tenho a consciência completamente limpa e sei que fiz tudo o que podia para obter os melhores resultados possíveis. Na verdade o contrato terminou por falta de movimento, já que o aeroporto é pequeno e com a chegada das estações mais frias (atualmente estamos no outono) as pessoas tendem a viajar muito menos.
De qualquer maneira, ando curtindo muito a minha casa, que é que eu amo fazer quando chega o friozinho.
Também estou um pouco afastada do youtube, do blog e redes sociais em geral porque estou meio que me desintoxicando de ficar tanto tempo na frente do computador e estou achando ótimo!
Assim que a inspiração voltar, eu volto ao ritmo normal.

Um beijo pra vocês!

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

O gato, o rato e... eu por Larissa na Itália

Mês de outubro começando e eu comecei bem... 
Como vocês ja sabem eu estou trabalhando (temporariamente) no aeroporto da minha cidade como expliquei aqui . Voces também sabem que quando preciso trabalhar de manha, tenho que acordar muito cedo (04h30. Sim. Da manha.) E quem me acompanha com frequência também sabe que a minha casa aqui na Itália fica no campo.
Então, hoje de manhã, peguei o carro para trabalhar como sempre faço e eis que quando passo por uma estrada super-escura próxima da minha casa, um rato atravessa o meu caminho. Lógico que a minha primeira reação foi colocar o pé no freio. Fiz isso delicadamente, sem desespero e tentando não passar por cima dele. Nao passei, maaaaaasssssss... Qual não foi a minha surpresa ao ver que logo atrás do rato, tinha um gato(?), Isso mesmo, um gato! Enfiei o pé mais ainda no freio com todo o desespero de quem quer parar e não consegue. Ufffa, parei. Alguns metros à frente. Fiquei ali parada por alguns segundos, dentro do carro sem ter coragem de sair. Uma porque estava escuro e não havia ninguém na rua. E outra: nao queria ver as entranhas do gato espalhadas pela estrada. Foi então que ouvi um baque levinho embaixo do carro. Um barulhinho suave como se o gato tivesse saído debaixo do carro e dado uma rabada de despeito. Depois disso fiquei esperando ouvir um miau ou qualquer outro barulho. Nada. Olhei para trás e não vi nenhum dos dois animais pela estrada. Éramos de novo só eu e a madrugada escura. 
Aprendi uma lição. Uma não. Duas: Da próxima vez vou mais devagar porque não quero morrer de suto. E também para não atrapalhar o café da manha a caça do Sr. Gato.

Abraços,

Larissa.