PESQUISE NO BLOG

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Londres - Parte final (finalmente!)

Finalmente então vamos para a parte final de Londres. Na verdade, nesta parte coloco mais fotos e menos palavras. Faço isso porque não tem muito como traduzir em palavras a sensação de estar em lugares como estes. Acho que as imagens falam mesmo por si sós. Então, apreciem!


London Eye


 Ainda bem que alguém teve a idéia de dar um pouco de cor a cidade cinzenta!



 Guarda do palácio de Buckingham!

 Musical Wicked

Saint James Park

Torre de Londres


Um beijão a todos,

Larissa.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Londres - Parte II

Conforme prometido no post anterior (Londres - Parte I), vamos começar logo pelo Sherlock Holmes.
O passeio que fiz no último dia em estava em Londres durou até à noite quando decidimos fazer o caminho que teríamos que refazer na manhã do dia seguinte (15 de julho) para chegar ao ponto onde pegaríamos o ônibus que nos levaria ao aeroporto de Stanstead. Então nos dirigimos para a estação Baker Street. Quando chegamos em Londres, tb desembarcamos do ônibus nesta rua - Baker Street e pensei: " Que engraçado! Parece que já ouvi falar dessa rua em algum lugar...". Depois minha mente enviou uma mensagem "Um lugar chamado Baker Street..." - era uma peça de teatro que havia sido anunciada no rádio, muito tempo antes. Mas até aí, normal. Pensei: "Deve ser por causa da peça."

Na verdade essa foto não deveria ter sido tirada, porque fazia parte do backstage. Mas o Francesco (marido) é o fotógrafo oficial das nossas viagens e com ele a máquina fotográfica não tem descanso.


 E aqui a foto que deveria ter sido tirada: eu na estação de Baker Street.


Depois da pose para fotos, desembarcamos na estação e quando avistei uma placa que dizia: "Museu de Sherlock Holmes" me surpreendeu! Então era isso, Baker Street, 221B, o escritório de Sherlock Holmes! Não fazia idéia de que o endereço realmente existia. Muito menos de que era um museu! Só fiquei triste por descobrir isso na última noite, quando já estava fechado e não teria mais tempo para visitá-lo.
Mesmo assim, fomos até lá. Parece bem pequeno, como uma casa-escritório, que como descrito nos livros, era a função daquele lugar.

 Descoberta incrível! Pena que não pude entrar, mas não tem problema, fica pra próxima vez...



Depois disso, passamos pela Oxford Street e eu tirei foto da Harrods:



Quando chegamos a Earls Court, lugar onde ficava nosso hotel, outra surpresa. Eu gostei muito de ficar observando o estilo das casas inglesas. Na verdade, observar casas externamente falando, é uma mania que eu tenho desde que era pequena. E em Londres, as casas são diferentes de tudo o que eu já tinha visto. Então ficava observando tudo nos mínimos detalhes. Quando já estávamos nos dirigindo ao  hotel pra dormir, olha só o que eu vi:

Alfred Hitchcock, autor e diretor de Psicose viveu na rua do hotel onde eu estava hospedada!

Também acho que foi uma incrível coincidência! Não que eu seja uma grande fã de filmes de assassinato, mas no final das contas, ele era uma celebridade. Depois disso voltamos ao hotel pra dormir, porque descobrir duas celebridades numa noite era muita emoção para um só coração!

Na verdade eu percebi que ainda não mostrei os lugares mais encantadores (e um pouco clichê de Londres). Mas farei isso no próximo post. Não estou contando as coisas na ordem cronológica em que aconteceram. Estou contando conforme vou me lembrando (eu sempre faço isso), mas tenham paciência.

Um beijo a todos e até o próximo post!!!

Larissa.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Londres - Parte I

Quando cheguei em Londres, o tempo estava ótimo. Algo bem incomum para uma cidade que tem fama de ser sempre cinzenta. Eu vestia uma blusinha de alcinhas e me sentia ótima. Só que aquilo só durou um dia . Era bom demais pra ser verdade... De qualquer  maneira, eu já tinha ouvido falar que o tempo ali era sempre nublado, então não me surpreendi ao ver que de uma hora pra outra, estava frio de novo. Mas tudo bem, porque afinal de contas, era verão ali também. Quer dizer, na verdade o verão é ilusório. Mas as pessoas acreditavam tanto nisso que era normal ver todo mundo passeando de shorts e camiseta enquanto eu tremia de frio. Não é dificil entender porque os ingleses são tão branquinhos. Qualquer um seria assim se vivesse num lugar onde o sol praticamente nunca dá o ar dá graça.


Ela bem que tentou se esconder, mas a lente da minha câmera foi mais rápida. Eu tinha que mostrar pra vocês como os inglese são, não tinha?


O primeiro ponto turístico que vi foi o Big Ben. Quando descobri que estava ali, comecei a pular feito louca. Tinha ouvido tanto falar dele e agora eu ESTAVA ali! Foi uma emoção incrível!
Acabei descobrindo que Big Ben, não é o nome do relógio e sim do sino que pesa 13 toneladas. Vivendo e aprendendo.


O metrô de Londres é um sonho. Na verdade o metrô de São Paulo é mais limpo. Mas em Londres o metrô funciona com uma "pontualidade inglesa". Há um painel onde se pode checar quantos minutos faltam para que o metrô chegue na estação. E funciona perfeitamente.
Earls Court Station - Esta era a estação próxima de onde ficava o nosso hotel.


Os trens chegavam à estação sempre no horário certo.

A pontualidade inglesa vale para os ônibus também!

Os carros antigos também são comuns em Londres. Eles são com certeza, uma recordação de uma Londres mais antiga que até os dias de hoje permanece muito bem conservada.

O café da manhã era sempre uma festa e nada light. Aqui em casa a gente se preocupa em ser muito saudável, mas durante esta semana fora, posso dizer que comemos bastante e sem culpa. Afinal depois, sabíamos que caminharíamos o dia inteiro e que, no final das contas, seria só por uma semana. 

 Adorei o cookie - este biscoitão com pedacinhos de chocolate. Muito macio!

Este era um doce dinamarquês. A massa é bem levinha e parecia ter algo de canela e banana no meio. Nham-Nham!

Este é o clássico muffin sobre o qual já tinha lido tanto nos livros da Marian Keyes e da Sophie Kinsella. Ótimo também! 

Para este post não ficar tão longo, vou continuar em um próximo. Em "Londres - Parte II", vamos falar de Sherlock Holmes, Alfred Hitchcock (Psicose).

Um beijo a todos e até o próximo post!

domingo, 10 de julho de 2011

Campo de Girassóis na Itália

Quando ainda estava no Brasil, assisti aquele filme "Sob o sol da Toscana". Na locadora, bati o olho naquele filme e a capa me chamou a atenção: a atriz estava em meio a um campo de girassóis! Fiquei encantada com aquele lugar e levei o filme para assistir em casa, mais por causa da foto do que por saber do que falava a história. Só sabia que era um romance, meu gênero favorito de filme! Não sei quanto tempo faz que vi esse filme, mas aquela imagem dos girassóis permaneceu na minha cabeça. O lugar parecia a imagem do paraíso!
Depois, quando cheguei à Itália pensei: "Agora vou poder visitar a Toscana e tirar uma foto em meio aos girassois!". Depois, visitando o blog da Tati, adivinhem o que encontrei? Uma foto dela em meio aos girassois! Fiquei toda feliz e escrevi pra ela perguntando onde ela tinha tirado a foto. Ela me respondeu: "É perto da sua casa!".
"Meu Deus!", pensei, "Aquele lugar lindo fica perto da minha casa??". Então um belo dia, quando estava indo à praia com o Francesco, descobri o lugar. Não tinha percebido antes porque os girassois (assim como muitas frutas, legumes, verduras, etc), tem uma época do ano pra nascer. Logo, quando eu passava ali, não tinha nada. Foi realmente uma surpresa muito boa. Agora finalmente tenho minhas fotos (no plural) em um pedacinho do paraíso!

Tentando girar o girassol. Como ele estava voltado em outra direção, não dava pra fazer a foto.

Não parece realmente um pedacinho do paraíso?  


Feliz! Feliz! Muito feliz!!!



Um beijo a todos!