O QUE EU JÁ ESCREVI?

PESQUISE NO BLOG

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Fim do Trabalho na Peixaria

Essa semana aconteceu a fatídica ligação. Quando ouvi aquelas palavras tive uma desconfortável sensação. Foi realmente muito estranho. Eu estava aqui, cheia de planos, imaginando o que poderia fazer com o suadíssimo dinheiro que ganhasse... Mas enfim, agora meus planos ficaram no passado.




Hoje estive novamente na peixaria somente para deixar o papel onde anotava os horários diários que fazia. As meninas me desejaram boa sorte e fiquei feliz por isso.
Apesar de tudo o que aconteceu, e de ter sido tudo tão repentino, sinceramente, não deixo de acreditar que "Deus tem algo melhor pra mim". Esse é um pensamento que, desde que recebi a fatídica notícia, tenho fixo na mente. Me recuso a perder a força e a fé. Não posso não sonhar como uma vida onde finalmente eu possa fazer um trabalho do qual realmente goste.

Larissa.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Como eu conheci meu marido Italiano?

Essa é a pergunta que mais recebo desde que resolvi abrir o blog e os canais do youtube. Nunca pensei que isso pudesse interessar tanto às pessoas. Mas, como sei que vocês realmente têm curiosidade de saber, resolvi finalmente fazer dois vídeos (era um só, mas foi dividido em dois devido às suas dimensões exageradas) contando como eu conheci meu marido italiano.
Como menciono no final do segundo vídeo, acredito que o que realmente importa não é a nacionalidade e sim, o caráter da pessoa que você escolhe para ficar ao seu lado para o resto da vida (considerando que "para o resto da vida" é muito tempo!).
Vamos lá escutar a história?





Gente, gostaria de deixar uma observação. No vídeo, esqueci de mencionar que depois nos casamos, me dou muito bem com a família do meu marido. Apesar de a história ter sido muito complicada no início, entendi que na verdade o problema é que eles estavam preocupados com o Francesco, com a situação de crise que teríamos que enfrentar, com o fato de que eu poderia não me adaptar ao país. Enfim, muitos problemas juntos. Claro que ponderamos muito sobre o que seria o certo. Mas no fim, graças à Deus, tudo deu certo e somos muito felizes.

Um beijo,

Larissa.

sábado, 19 de outubro de 2013

Trabalho na Peixaria e Minhas considerações sobre Trabalhar na Itália

Tem tanta coisa acontecendo ultimamente por aqui, que acabei fazendo mais vídeos do que posts. Mas como vocês já devem ter percebido, nem todo vídeo que faço para o canal LarissanaItália vem acompanhado de post e nem todo post virá acompanhado de vídeos. Mas neste caso, o assunto tem a ver com algo que já foi mencionado em vídeos. Então vou relacionar as duas coisas.


No vídeo abaixo, explico um pouco sobre como foi encontrar trabalho em um peixaria e falo sobre a semana de teste:





Neste outro vídeo falo um pouco sobre o Resultado do Teste na Peixaria.


Minhas Considerações:

Como essa é a segunda vez que encontro trabalho por aqui (terceira se contar a breve experiência de poucos dias em um restaurante), sinto que já tenho um pouquinho de bagagem para fazer comparações.

Estou aprendendo muito sobre o que significa trabalhar na Itália. Percebi que normalmente, os patrões italianos são bem exigentes e detalhistas. Se precisam te ensinar um trabalho, eles normalmente vão te ensinar nos mínimos detalhes. Eles não têm papas na língua quando precisam dizer o que pensam e, em alguns momentos chegam a ser grosseiros. 
O conselho que posso dar para quem faz trabalhos como este que estou fazendo agora, é que tenha muita paciência. Às vezes parece que quando você começa a aprender algo que nunca fez, seu cérebro se enche de informações e fica prestes a explodir (também pelo fato de que o seu chefe quer que você aprenda tudo no menor tempo possível). Mas não se preocupe. Um dia após o outro, as coisas vão se ajeitando. O importante é chegar em casa e se desligar um pouco, relaxar e recarregar as energias para voltar com força total e melhor do que nunca no dia seguinte.
Nesse meio tempo, também andei pagando alguns micos, porque como disse nos vídeos, sabia bem pouco sobre  peixes. Acontece muito, por exemplo, de um cliente chegar no balcão, pedir um peixe e eu não ter idéia de qual peixe ele está falando! Nestes casos, eu finjo que não entendi, peço para o cliente repetir. E como (graças à Deus!), os italianos são muito expressivos, normalmente eles repetem já apontando para o que querem. Adoro isso!
No meu primeiro dia, uma senhora que viu que eu estava aprendendo, disse que queria ser atendida por mim para que eu pudesse me exercitar e fiquei toda feliz. Consegui fazer tudo certinho! 
E acho que já comentei que italiano não faz fila. Então sempre que termino de atender um cliente tenho que perguntar: "Chi c'era?", que em português seria algo como "Quem é o próximo?". E incrivelmente eles sempre sabem quem é o próximo. 
Em alguns momentos é um trabalho bem divertido, mas sei que não é o que quero fazer pelo resto da vida. Mas por enquanto, como dizem os italianos, "Le cose stanno così." (As coisas estão assim).


Um beijo à todos e até breve,

Larissa.