O QUE EU JÁ ESCREVI?

PESQUISE NO BLOG

terça-feira, 26 de maio de 2015

Diário de Gravidez - 6° Mês - Atualizações sobre Diabetes Gestacional

Olá pessoal!

Depois de me preocupar e preocupar vocês com a história do Diabetes Gestacional que contei no último post (para entender do que estou falando clique aqui) , venho hoje para contar como foi a nova consulta que tive com o médico de Diabetes. 
Não me lembro se mencionei anteriormente, mas terei que me consultar com o médico e a nutricionista a cada quinze dias para que ele possa acompanhar os valores da minha glicemia e para que ela possa fazer ajustes na minha dieta caso seja necessário. 
Mas vamos ao vídeo para saber o que aconteceu?


Leu? Assistiu? Gostou?

Então deixe um comentário me contando o que achou.

E hoje deixo Um grande abraço muito especial à todas às pessoas que se dispuseram a tirar alguns minutos do seu tempo para orar pela minha saúde e pela saúde da minha bebê Melissa. Muito obrigada.

Larissa.

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Diário de Gravidez - 6° Mês - Diabetes Gestacional

Nesse diário de gravidez vou falar sobre coisas legais e coisas chatas que aconteceram este mês... Entre as mais chatas está o diagnóstico de Diabetes Gestacional.
Realizei um exame que se chama Curva Glicêmica e obtive o diagnóstico, mas explico tudo direitinho no vídeo. 



Também aproveito o tema para inserir um trecho retirado do livro "O que esperar quando você está esperando" que explica um pouco sobre o Diabetes Gestacional.

"Diabetes Gestacional

O que é. Uma condição temporária, semelhante a outros tipos de diabetes em que o corpo não produz a quantidade suficiente de insulina para fazer frente ao elevado teor de açúcar no sangue durante a gestação. As mulheres geralmente são examinadas por volta da 28ª semana de gravidez para determinar o diabetes gestacional, uma vez que é a época em que a placenta começa a produzir grande quantidades do hormônio que podem causar resistência à insulina.
Esse tipo de diabetes é mais comum entre gestantes mais velhas e quase sempre desaparece depois do parto. 
O diabetes, sema o que se inicia durante a gestação, seja o que se inicia antes da concepção, não costuma ser doença perigosa, nem para o feto, nem para a gestante. Mas essa afirmação só é válida quando a doença é controlada. Caso uma quantidade excessiva de açúcar fique circulando pelo sangue materno, entrando na circulação fetal através da placenta, os possíveis problemas daí decorrentes serão graves, para a mãe e para a criança. As mulheres com diabetes não controlado estão em maior risco de ter um bebê muito grande, assim como também são mais propensas a desenvolver pré-eclâmpsia (hipertensão gravídica induzida).

Sinais e sintomas. O primeiro sinal pode ser a presença de açúcar na urina (quando a urina é examinada no consultório médico). Costuma também ocorrer sede excessiva, micção frequente e muito copiosa (a ser distinguida da micção também frequente mas pouco abundando, própria da gestação incipiente) e fadiga (que pode ser difícil de distinguir da fadiga gestacional).

Tratamento. Felizmente, quase todos os riscos vinculados ao diabetes gestacional podem ser eliminados pelo controle escrupuloso do açúcar no sangue, mediante o devido atendimento médico e os cuidados da própria gestante. Se as instruções do médico forem seguidas a mãe diabética e o bebê terão boas chances de chegar muito bem ao termo. Mesmo quando os exames verificam que os níveis de açúcar estão no limite, tratar o problema, em vez de esperar que piore parece melhor o resultado. Se você desenvolveu o diabetes gestacional, deverá ser examinada alguns meses após o parto para assegurar que os níveis de açúcar no sangue retornaram ao normal.Também deverá ficar atenta a sinais e sintomas que indiquem o diabetes tipo II que se inicia na fase adulta (como a micção frequente,sede persistente e um elevado teor de açúcar no sangue e na urina), que você está em maior risco de desenvolver mais adiante.

Prevenção. A boa dieta, o controle do ganho de peso e a prática regular de exercícios reduzirão o risco. Mulheres obesas que se exercitam cortam pela metade o risco de desenvolver o diabetes gestacional."

De fato continuo frequentando a academia três vezes por semana para fazer caminhadas de mais ou menos 40 minutos e aulas de Pilates. Antes de engravidar eu já frequentava a academia. Nos três primeiros meses, continuei fazendo somente Pilates e no quarto mês, iniciei com as caminhadas também para controlar o ganho de peso. Mas agora entendo que a atividade física ajuda também a controlar a glicemia, então mais um motivo para continuar. 

Se alguém por aí também passou por essa experiência, não deixe de comentar aqui embaixo me contando.

Um beijo à todos,

Larissa.

quinta-feira, 7 de maio de 2015

Histórias da Itália 2 - Amanda

Hoje teremos mais um vídeo do Projeto "Histórias da Itália". Neste segundo vídeo conto a história da Amanda, uma jovem brasileira que decidiu vir à Itália para estudar italiano.

Achei essa história bem diferente das outras pela coragem que ela teve em literalmente se jogar nessa aventura e fazer coisas como conhecer outras cidades sozinha logo de cara sem saber direito como se comunicar com os italianos.

Amanda em Milão

Admiro toda essa coragem! Mas confesso que não sou tão corajosa assim. E a Amanda não só me enviou a história dela como mandou também fotos que acrescentei no vídeo. Vamos assistir?


Importante: No video eu pergunto à Amanda se o curso gratuito de Italiano que ela mencionou ainda existe e ela me respondeu que sim. Para obter maiores informaçoes sobre o curso CLIQUE AQUI.


Assistiu? Leu? Gostou?

Então deixe um comentário me contando o que achou.

Um abraço,

Larissa.