O QUE EU JÁ ESCREVI?

PESQUISE NO BLOG

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Vida na Itália: Dando de Cara com o Topless

Hoje fui à praia novamente e adivinhem só? Vi quatro italianas fazendo topless! No post anterior, eu tinha comentado que achava que aqui não era tão normal ver mulheres sem a parte de cima do biquini. Isso porque não tinha visto nenhuma... até agora. 

Não sei se por eu ser brasileira, mas é meio estranho dar de cara com uma mulher seminua na praia. Acho que é porque sou brasileira mesmo, porque enquanto eu olhava pasma as mulheres (super) à vontade aqui e acolá, as pessoas em volta pareciam achar tudo muito natural. E outra surpresa: duas das quatro mulheres estavam acompanhadas de um parceiro (não sei precisar se eram namorados ou maridos). As outras duas estavam juntas.

E vocês meninas, teriam coragem de tomar sol sem a parte de cima do biquini?
Meninos, vocês se importariam se a namorada quisesse fazer topless?

Um beijo a todos!!!

terça-feira, 24 de maio de 2011

Vida na Itália: A Praia

Já que não consegui fazer uma viagem de lua-de-mel até o presente momento porque estou resolvendo a situação dos meus documentos aqui na Itália, vou mostrar pra vcs um pouco da praia que foi o lugar mais distante onde consegui chegar até o momento.

No ano passado, quando estive aqui para passar férias, cheguei a conhecer a praia, mas como era abril, sinônimo de primavera, ainda estava bem frio. 

Esta semana, porém, o tempo esquentou e corri para a praia em busca de respostas para perguntas que me fazia desde que me entendo por gente como: Na Itália é normal que as mulheres façam topless (tomar sol só com a parte de baixo do biquini)? Os biquinis que elas usam são diferentes dos nossos? Alguma outra diferença? Continue lendo esse post se quiser descobrir.

Marcelli - a água até um certo ponto é azul claro e mais ao fundo se torna azul escura. Lindooo!


Eu sempre ouvi falar que a mulher europeia achava super normal fazer topless. Mas pelo menos até agora, não vi ninguém fazendo topless. Todas elas tomavam sol exatamente como nós brasileiras, ou seja, com as duas partes do biquini posicionadas em seus devidos lugares. Algumas usam biquinis maiores, outras, um pouco menores. Mas isso é normal pra nós também.

Alguns homens usam sunga, mas os mais tímidos ou um pouquinho acima do peso preferem um short que é mais curto que os bermudões que vemos no Brasil.


Em Marcelli, a última praia em que estive a areia não é bem areia. Como assim? É isso mesmo. A areia na verdade são pequenas pedras que no Brasil chamaríamos de seixos. Na praia de Numana, onde estive um dia depois do casamento, também havia seixos, só que como haviam sido colocados ali recentemente, eram um pouco maiores. Essas pedras são colocadas ali porque, caso contrário, o mar levaria toda a areia embora e as pessoas não teriam lugar para tomar sol.



Ainda estamos na primavera, mas já vi muitas mulheres totalmente bronzeadas na praia. Elementar, meu caro Watson: elas fazem bronzeamento artificial antes de chegar na praia. Provavelmente porque depois de um longo e tenebroso inverno, as pernocas devem estar clarinhas, clarinhas.

Por enquanto essas foram minhas descobertas. Mal posso esperar pelas próximas.

Um beijos a todos!

quinta-feira, 19 de maio de 2011

O Grande Dia: Meu casamento

Camerano, 13 de maio de 2011

08h00 - Não sei como consegui dormir à noite, pois estava super emocionada. Verifiquei as unhas: Ok! Ufa, que alívio. Estavam perfeitas!
10h00 - Eu e o Francesco marcamos horário juntos no mesmo cabelereiro.
Francesco: cerca de 30 minutos para fazer um corte e colocar um pouco de gel e estava pronto.
Eu: 02 horas embaixo de um secador que queimava minhas orelhas. (Claro, como não!)

O Francesco saiu para buscar meu bouquet. E eu fiquei ali agoniada querendo correr do secador. Éeeeee, que disse que seria fácil??

12h00 - O Francesco voltou e ficou bem impressionado com meu cabelo, sinal que não estava mau. Pagamos e recebemos "tanti auguri" de todo o pessoal do salão. Fiquei impressionada em saber que eles sempre dão parabéns independente de te conhecer ou não quando vc vai se casar! Mas gostei, muito simpático da parte de todos.
13h00 - Almoçamos macarrão com atum e milho.
Eu: mal consegui comer e andava de um lado para o outro dizendo "temos que fazer isso, temos que fazer aquilo...
Francesco: super-calmo, lavou a louça e fez um chá de camomila para mim.
14h00 - Tomei o chá de camomila. Falei com minha amiga Jú pelo msn para ver se passava o tempo e ela me fez prometer que quando estivesse pronta, ligaria a câmera para que ela me visse vestida de noiva!
15h30 - Francesco saiu para se arrumar na casa dos pais e eu fiquei em casa. Comecei a fazer a maquiagem e minha mão tremia um pouco, então decidi que iria bem devagar pra não errar. Coloquei um durex no canto dos olhos pra fazer a coisa mais precisa!
16h00 - A campainha tocou e eu, histérica pensei: são os padrinhos que vieram se trocar aqui em casa. Francesco ainda não tinha voltado. Abri a porta, perguntei se queriam conhecer a casa. Eles, vendo o nervosismo, recusaram a oferta. Ai, graças à Deus! Mostrei o quarto onde poderiam se trocar e me tranquei novamente no quarto pra terminar a maquiagem.
16h10 - Francesco chegou, já estava pronto e muito elegante!
16h30 - Chegaram os colegas de trabalho do Francesco que viriam se trocar aqui em casa. A casa estava animada! Eu: ainda trancada no quarto.
16h40 - Chamei o Francesco para me ajudar a fechar o vestido e colocar o colar. Ele ficou encantado quando me viu. Adorei que ele tenha sido a primeira pessoa a me ver. Afinal, era a pessoa que mais importava!
16h45 - Liguei a câmera pra falar com a Jú. Ela me disse pra ficar calma e desejou toda a felicidade do mundo! Fiquei emocionada, mas não chorei porque arruinaria toda a maquiagem.
16h50 - Francesco: "Lari, meu pai está esperando lá fora." Descemos e estava um lindo dia.

A tradição também diz que o noivo deve chegar primeiro, e a noiva depois. Mas como se tratava de um casamento em comune, chegamos e entramos juntos. Mais uma vez, fiquei feliz de tê-lo ali pertinho.
O resto foi um pouco de nervosismo e muita alegria. Aquele dia foi o resultado de duas pessoas que nasceram tão longe uma da outra, mas foram, inegavelmente, feitas para estar juntas e felizes para sempre.

Chegando na Comune. Luigi, pai do Francesco estava atrás super-feliz!


Na sala comunal: Os padrinhos Alessandro (à esq.) e Anna (à dir.). Adoráveis!


Chuva de arroz pra dar sorte!


As alianças...


O casamento foi às 17h00 e saímos para fazer as fotos em lugares lindos! Na foto acima, praia de Numana.


 
Sirolo - O peep toe(sapato aberto na frente) queria fugir do pé e parei pra arrumar.


Aqui dá pra ver melhor o vestido que eu já tinha comentado que era simples. Minha cara!

O bolo tinha uma fonte de água e luz na cor azul.







Depois do bolo, buffet de frutas e café

Espero que tenham gostado.

Um beijo a todos!

Vida na Itália: Às vésperas do Casamento

Camerano, 12 de maio de 2011.

Pela tradição, o Francesco deveria (pelo menos hoje), dormir na casa dos pais e encontrar comigo somente na igreja, ou melhor, no Comune porque nosso casamento será como o Casamento Civil no Brasil. 
Mas como tradição não é tanto a minha praia, implorei desesperadamente que ele ficasse em casa comigo, pois não queria dormir sozinha. Pro meu alívio e felicidade, ele aceitou! 

Corre daqui, corre dali, fiz as unhas porque sabia que no dia seguinte não teria tempo. Como não poderia deixar de ser, algo deu errado: como coloquei muitas camadas de esmalte, este não secava de jeito nenhum e resultou que à 01:00 eu ainda estava acordada e utilizei o secador pra tentar agilizar a coisa. Esmalte seco, fui dormir depois de passar o top coat rezando para não acordar com a marca do lençol grudada nas unhas, senão teria que refazer.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Offagna - Passeio Medieval


Estive em Offagna pela primeira vez, cerca de um mês atrás. Na verdade, fui a um jantar com amigos e quando o Francesco estacionou o carro em uma piazza próxima a um castelo, fiquei fascinada e ansiosa para vê-lo durante o dia.

No dia 1º de maio, voltei lá para ver se conseguia vê-lo melhor. Uma pena que quando chegamos, estava fechado. Mas ainda conseguimos tirar belas fotos no parque que fica na parte de baixo e na parte externa.
O parque



A escadaria que dá acesso ao pátio da Rocca


É comum ver os idosos passeando tranqüilamente enquanto voltam da missa. Em Camerano, eles também se reunem na Piazza (praça) para papear na hora do almoço ou no fim da tarde.


Vista panorâmica da cidade de Offagna



A cidade de Offagna surgiu em 958, porém a Rocca (que eu chamo de castelo) foi contruída somente em 1454. Na época, Ancona tomou Offagna porque esta ficava no alto e dali, era mais fácil visualizar Osimo para que esta, então pertencente a Ancona, não se rebelasse. A Rocca foi contruída em 1454 e funcionava como ponto de observação e presídio armado. Bem, esta parte eu tive que descobrir através de pesquisas próprias, já que não pude entrar no castelo devido ao horário de funcionamento.

Mas depois que saímos dali, vimos também um cartaz que falava a respeito de uma exposição de armas dentro do castelo. Agora quero voltar lá para ver a exposição!

E no final do passeio, um super gelato italiano para comemorar as novas descobertas!



Um beijo a todos!