O QUE EU JÁ ESCREVI?

PESQUISE NO BLOG

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Vida na Itália: As curiosidades de uma casa italiana

Sim, ela lava com água quente.
A saga começou na primeira vez que vim pra Itália. Usei muitas roupas, elas ficaram sujinhas e aí eu pensei: "Bom, agora não dá mais pra evitar. Vou ter que lavar roupa." Separei tudo em cores conforme manda o figurino e fui em direção à lavadora. Logo de cara já fiquei com cara de boba: a lavadora tinha não-sei-quantos-tipos de lavagem. Aperta botão daqui, gira botão de lá e... obviamente no primeiro dia, a lavadora me venceu pelo cansaço. Mas a maior surpresa de todas, foi esse botãozinho da foto ao lado.



Fui tomar banho e pensei: "Ué, o que aconteceu com o bom e velho chuveiro elétrico?" Na Itália, ele não existe como no Brasil. Ou se existe, eu nunca vi. Até hoje todo chuveiro que vi por aqui era como este. Pequenininho né? E eles funcionam a gás. 


  



Que a voltagem por aqui era 220V eu já sabia. Mas que a tomada tinha um tipo de entrada diferente da do Brasil, não. Aqui a tomada é assim, com três furinhos. Mas se você tiver um plug com dois furinhos, também é possível encaixá-lo aqui. Para todos os outros tipos, é necessário um adaptador.



Depois das surpresas pensei: "Agora vou fazer um café." Mas, cadê o bule, o coador e o filtro? Rá! De conhecido, só encontrei o pó de café. E nesse bulinho, chamado mooca mocóca moka, que eles fazem o café. Como? Dê uma olhadinha na foto da moka desmontada e descubra como. O primeiro café e todos os outros foram feitos pelo Francesco.

Desnecessário dizer que de manhã eu troquei o bom e velho café com leite pelo bom e velho leite com café solúvel né?
Tá bom, agora vamos falar de coisas mais simples como... passar roupa. Quando cheguei, compramos o ferro mais normal que consegui encontrar no mercado. Assim não teria nenhuma surpresa. Depois de alguns dias passando roupa, comecei a notar que ferro soltava uma espécie de "areia" que estava entupindo os buraquinhos por onde sai o vapor. Vi aquilo, mas achei que não fosse nada demais. Até que um dia, na praia, a Taty comentou: "...pra passar roupa tem que usar água desmineralizada." Fiz cara de boba outra vez e a Taty já entendeu. "Você usa água da torneira? Não pode! Você vai acabar com o ferro...". Droga, tava fácil demais pra ser verdade. Depois, conversando com ela, descobri que a água contém alguns minerais. Aqui se bebe água da torneira, mas essa água pode ser extremamente prejudicial à vida do ferro.

E as surpresas continuaram...








Este é o aquecedor (foto esq). Cada cômodo da casa tem um (ou dois se for um espaço grande) que emana calor nos dias de inverno.





E continuaram...


 
Aqui se faz coleta seletiva do lixo. O saco amarelo é para plástico e latinhas. O recipiente  branco é para papel, o verde para vidro e o marrom para lixo orgânico. Todas as famílias recebem uma cartilha com as instruções de onde deve ser colocada cada coisa. O caminhão do lixo passa de segunda à sábado e cada dia recolhe um tipo de coisa.

.



Esse todo mundo conhece. É um termômetro.

Só que no Brasil, normalmente temos em casa o termômetro pra medir a febre quando estamos doentes. Também tem esse aqui. Mas parece que italiano gosta bastante de saber a temperatura, porque praticamente todas as casas tem um termômetro grudado pendurado na parede. Normalmente no Brasil, se perguntássemos: "Quantos graus será que está fazendo hoje?", na certa alguém responderia: "Sei lá... uns 15°C." Mas aqui, toda vez que faz essa pergunta, eles correm pro termômetro. É meio que como olhar as horas. Esse aqui de casa é bem feioso, essa foto me lembra que eu preciso substituí-lo o quanto antes...

Por enquanto é isso. Fico por aqui pensando qual vai ser a próxima esquisitice que vou encontrar por aqui.

Um beijo a todos!