PESQUISE NO BLOG

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Viver um Terremoto por Larissa na Itália

Só quando já estava dentro do avião, vindo morar definitivamente na Itália foi que me fiz a pergunta: "Mas... a Itália não é um país sísmico?". Sim. A Itália é um país sísmico. Algumas regiões estão mais sujeitas a sofrer com terremotos e outras menos.
Aqui em Ancona eu sempre ouvi amigos e parentes dizendo que passaram por essa triste experiência. Mas uma coisa é ouvir falar. Outra coisa é sentir na pele.
Na madrugada do dia 21 de julho de 2013 acordei assustada. Eram mais ou menos 03h30. Meio sonolenta, a primeira coisa que senti foi a cama que tremia. Estava naquele estágio entre o dormir e o acordar. O próximo barulho que meus ouvidos conseguiram identificar foram os vidros da janela - vibravam como uma grande caminhão passa na rua. Longe eu ouvia um barulho que mais tarde batizei com o nome de "terra se movendo". Fiquei apavorada. Acho que nunca senti tanto medo em toda a minha vida.  O terremoto pode ter durado 5 segundos ou 20 segundos, mas não tenho como saber. Só sei que para mim, pareceu uma eternidade. Já tinha ouvido muita gente dizendo que quando acontece, é preciso correr para um lugar onde não haja risco de que nenhum objeto caia na sua cabeça como o vão da porta ou debaixo da mesa da cozinha, por exemplo. Mas o medo me paralisou e continuei no escuro do quarto deitada sobre os cotovelos esperando que parasse. Quando aquele pesadelo real terminou eu ainda fiquei ali, esperando que mais alguma coisa acontecesse, esperando um grito, algum outro som, mas nada. Tudo ficou silencioso novamente. Foi só então que me lembrei de acordar o Francesco, que dormia tranquilamente ao meu lado. Quando ele acordou, eu disse: "Sentia a cama se mexer...". Ele não respondeu nada. Fomos à cozinha e eu tomei um calmante bem levinho tipo maracugina. Sentia o coração muito acelerado. Alguns minutos depois, meio relutante, voltei para a cama. Fiquei ali de mãos dadas com meu marido e tentei dormir. Quando finalmente peguei no sono, outro terremoto! Devo ter praticamente saltado da cama porque ele, que estava meio dormindo e meio acordado, me consolou dizendo: "Já vai passar." E após alguns segundos, de novo, passou. Mas dali em diante, a noite foi uma tortura. Dormia e acordava o tempo inteiro e toda hora tinha a sensação de que a cama estava tremendo de novo. Quando me levantei minha sogra ligou pra saber se estava tudo bem e aproveitei pra perguntar sobre a magnitude do terremoto. 4.9 na escala Richter. A escala vai de 01 a 12, sendo um o mais fraco e doze o mais forte. Mais tarde, falando com amigos e parentes por telefone, também descobri que normalmente quem mora em andares mais altos, sente mais forte. Eu moro no térreo e senti como descrevi. Não quero nem pensar em quem mora em andares mais altos.Nos dias que se seguiram, acho que fiquei meio traumatizada porque toda vez que ouvia um barulho, sentia o coração querendo sair pela boca. Agora já me sinto muito mais calma. Gostaria de pensar que não, mas se ou quando acontecer novamente, espero reagir com mais calma. 




Um beijo à todos,

Larissa.