O QUE EU JÁ ESCREVI?

PESQUISE NO BLOG

terça-feira, 31 de julho de 2012

E o resultado da prova de direção foi... Reprovada!

Eu já havia comentado com vocês anteriormente que estava fazendo aulas práticas para tirar a Carteira de Motorista Italiana.




Pois bem, fiz a prova e fui reprovada. Mas enquanto ainda tenho tudo fresco na memória, aproveito para contar para vocês como as coisas correram mal.
Chegamos ao local onde devíamos nos encontrar com a examinadora e Francesco, meu instrutor perguntar: "Então, quem quer ser o primeiro?". Eu e minha boca grande... Me ofereci para ser a primeira. Esse foi meu primeiro erro. Examinadora chega (vou ter que chamá-la de examinadora porque a bendita quando entrou no carro nem me cumprimentou, não se apresentou então sinceramente fiquei sem saber o nome da fulana. Com Francesco do meu lado e a examinadora atrás, comecei minha via sacra. A primeira manobra que tive que fazer foi a inversão de marcha. Tudo ok, foi perfeito pq tínhamos chegado em uma rua sem saída então eu só tinha que fazer o retorno. Depois disso, paramos em dois stop nos quais parei bonitinho conforme manda a figurino. Depois de algum tempo (não sei quanto tempo exatamente) passei por uma rotatória e ela reclamou que tinha passado muito devagar dentro da rotatória e que o carro poderia desligar. Depois que ela me disse isso, comecei a dirigir um pouquinho mais depressa pensando: "Então acho que assim vai ser melhor né." Aí ela disse: "Mas você é muito apressadinha, minha filha. Assim não dá né!". Daí em diante minha mente já começou a entrar em parafuso. Ela me disse pra fazer a baliza, mas não se decidia onde queria que eu fizesse. Como demorou pra dizer, quando decidiu o lugar, eu já estava dois carros a frente. O nervoso já tomando conta de mim. Fiz a baliza e inevitavelmente saiu errado.
Daí ela disse que poderíamos fazer uma outra em frente à auto-escola. Depois disso, Francesco foi me dizendo onde ir. Até que aconteceu o que causou o motivo da minha reprovação. Fui passar no semáforo e ele ficou amarelo. Instintivamente coloquei o pé no freio mas não parei onde queria. Fiquei um pouco mais a frente do semáforo sem saber o que fazer. Parti dali e quando chegamos à auto-escola e a examinadora me deu o veredicto: fui reprovada. Disse que eu dirigia bem e que ela sentia muito, que pra ela a baliza não importava porque aquilo se aprendia com o tempo mas que eu tinha que aprender melhor a chegar nas rotatórias mais devagar, mas o que causou a minha reprovação foi mesmo a coisa de ter parado um pouco à frente da linha do semáforo. Disse que decidiu que me reprovaria ali. Agradeci e fui embora toda xoxa. Ufffa! Até agora não acredito que não passei... Durante as aulas estava indo tão bem! Com certeza o nervosismo influenciou, mas quando entrei no carro já estava mais calma. O que me deixou mais nervosa mesmo foram os comentários que ela fez. Parecia que estava fazendo tudo errado e não era verdade. Daí depois disso errei mesmo né?!?
Naquele dia tinha um total de 07 pessoas esperando para fazer a prova. Três pessoas foram aprovadas e o resto, todos reprovados.
Não sei se ela me aprovaria realmente se não tivesse parado tempestivamente no semáforo. Droga, poderia ter continuado! Sei que os comentários que ela fez me deixaram insegura e, como ela não conhecia bem a zona, ficava por conta do Francesco dar todas as instruções de onde eu deveria ir. No momento de decidir onde fazer a baliza enquanto os dois conversavam eu seguia em frente devagar e sempre e quando finalmente me disseram onde eu deveria estacionar já estava uma pilha de nervos e à frente de onde deveria estar. Acho que as pessoas que fizeram a prova depois não tiveram esse problema porque pelo que eu entendi todos foram para o mesmo lugar e eles se organizaram melhor nas outras vezes, mas aí já era tarde pra mim. Da próxima vez, com certeza não vou me oferecer pra ser a primeira. E se mesmo assim, não der certo... vou pensar seriamente em comprar uma bicicleta.

Importante: espero que isso não aconteça, mas se por acaso acontecer de eu ser reprovada uma segunda vez na prova prática, tenho que recomeçar tudo do início, ou seja, fazer outra vez o teste escrito, esperar um mês e depois refazer a prova prática. E pagar tudo de novo, claro. Isso tudo acontece porque a Itália não tem acordo de conversão com o Brasil. Quem disse que era fácil?