quarta-feira, 1 de outubro de 2014

O gato, o rato e... eu por Larissa na Itália

Mês de outubro começando e eu comecei bem... 
Como vocês ja sabem eu estou trabalhando (temporariamente) no aeroporto da minha cidade como expliquei aqui . Voces também sabem que quando preciso trabalhar de manha, tenho que acordar muito cedo (04h30. Sim. Da manha.) E quem me acompanha com frequência também sabe que a minha casa aqui na Itália fica no campo.
Então, hoje de manhã, peguei o carro para trabalhar como sempre faço e eis que quando passo por uma estrada super-escura próxima da minha casa, um rato atravessa o meu caminho. Lógico que a minha primeira reação foi colocar o pé no freio. Fiz isso delicadamente, sem desespero e tentando não passar por cima dele. Nao passei, maaaaaasssssss... Qual não foi a minha surpresa ao ver que logo atrás do rato, tinha um gato(?), Isso mesmo, um gato! Enfiei o pé mais ainda no freio com todo o desespero de quem quer parar e não consegue. Ufffa, parei. Alguns metros à frente. Fiquei ali parada por alguns segundos, dentro do carro sem ter coragem de sair. Uma porque estava escuro e não havia ninguém na rua. E outra: nao queria ver as entranhas do gato espalhadas pela estrada. Foi então que ouvi um baque levinho embaixo do carro. Um barulhinho suave como se o gato tivesse saído debaixo do carro e dado uma rabada de despeito. Depois disso fiquei esperando ouvir um miau ou qualquer outro barulho. Nada. Olhei para trás e não vi nenhum dos dois animais pela estrada. Éramos de novo só eu e a madrugada escura. 
Aprendi uma lição. Uma não. Duas: Da próxima vez vou mais devagar porque não quero morrer de suto. E também para não atrapalhar o café da manha a caça do Sr. Gato.

Abraços,

Larissa.